MENU
Back To Top
PorOndeAndei: El Calafate

 

ryuru

 

Imagine navegar entre icebergs, se aproximar de gigantescas Geleiras, presenciar desprendimentos de blocos gelo, escutar o estrondo destes blocos caindo na água e ainda ter a oportunidade de caminhar sobre a superfície de um gelo milenar! Em El Calafate podemos vivenciar todas essas experiências proporcionadas pela mãe natureza em todo seu esplendor!

El Calafate, na Patagônia Argentina, fica às margens do Lago Argentino. O nome Calafate vem de uma frutinha escura da região usada para doces, geleias, sorvetes e licor. A cidade é pequena, mas simpática. Por ser a cidade mais próxima do Glaciar Perito Moreno, serve de base para os que vão visitá-lo. A melhor época para ir a El Calafate é entre novembro e março, meses mais quentes e com menos vento, pois o inverno é rigoroso e a partir de maio muitos passeios não podem mais ser realizados.

 

  • El Calafate é conhecida por “A Terra do Vento” – As rajadas de vento lá são tão fortes que chegam a dificultar a direção dos carros nas estradas, o vento é responsável por acidentes e até tombamentos; 
  • Muito cuidado ao abrir a porta do carro, é uma luta constante contra o vento. E se a rajada estiver na sua direção a porta pode te machucar.

 

A grande atração de El Calafate são seus Glaciares – formações de gelo originadas pela compactação da neve que descem das montanhas em direção aos lagos. Os Glaciares se movimentam em média 2 metros por dia, por isso acontecem desprendimentos de blocos de gelo. Os principais passeios são o Safari Náutico, Rios e Hielo, Caminhadas pelas Passarelas e o Mine Trekking ou Big Ice mas a “Cereja do Bolo” sem dúvidas é o Glaciar Perito Moreno.

 

Lago Argentino

Lago Argentino

El Calafate

Isla Solitaria

 

GLACIAR PERITO MORENO – SAFARI NÁUTICO

 

Segue-se 80 km na Ruta 11, estrada que leva até o Parque Nacional Los Glaciares, onde se encontra o Glaciar Perito Moreno – nome em homenagem a um desbravador da Patagônia, perito em geologia – Francisco Pascasio Moreno, conhecido como Perito Moreno. Paga-se a entrada e segue-se já dentro do parque até o Porto Bajo de Las Sombras, onde embarcamos para navegar através do Brazo Rico do Lago Argentino. O barco é simples, mas confortável, na parte superior existe uma área aberta com bancos de ferro, ótimo para tirar fotos, mas o frio castiga. Navega-se até o lado sul do Glaciar Perito Moreno, passando por blocos de gelo soltos no lago até se aproximar da parede gigantesca do Glaciar Perito Moreno. O Safari Náutico pode ser comprado independente ou conjugado com o Mine Trekking ou Big Ice.

 

Entrada do Parque Nacional Los Glaciares

Entrada do Parque Nacional Los Glaciares

IMG_0195

Vista do hotel

 

Depois o barco segue para o lado esquerdo do Glaciar e aporta para iniciar a segunda parte do passeio, o Mine Trekking. Após desembarque os guias dividem os grupos em espanhol e inglês, fazem uma explanação sobre a geleira e partimos para uma caminhada de 20 minutos por um bosque, sempre acompanhados pelo visual do Glaciar à nossa direta, até a base da geleira. Colocam-se os Grampones (garras) amarrados aos sapatos – esse acessório é indispensável para nossa segurança durante a locomoção na geleira, evitando que se escorregue no gelo. Os guias demonstram como se deve caminhar, subir e descer na geleira com os Grampones.

 

IMG_0140

Safari Náutico

Glacial Perito Moreno

Glacial Perito Moreno

 

BIG ICE OU MINE TREKKING – Caminhada sobre o Glaciar Perito Moreno

O encontro mais próximo com os Glaciares é este. Caminhada com Grampones, sobre uma camada de gelo compacta por aproximadamente 1h:30 minutos com paradas para explicações dos guias e fotos. No caminho passamos por elevações, fendas e crateras. Em alguns pontos avistamos grandes blocos pontiagudos que lembram chantilly ou suspiros. Ao final da caminhada os guias retiram um pedaço da geleira, quebram e servem com whisky e alfajor. Neste passeio está incluso a visita as Passarelas de Perito Moreno.

 

  • Mine Trekking (dificuldade: média – 1h:30 minutos de caminhada e restrição de idade – entre 8 anos e 60 anos, exceto gestantes) ou Bic Ice (dificuldade: alta – 3 horas de caminhada – entre 18 anos e 50 anos, exceto gestantes);
  • O Trekking é monopólio da empresa Hielo y Aventura, compre com antecedência seu passeio pois há muito procura;
  • Vá de tênis ou botas para o Trekking (confortáveis) pois os Grampones ficam melhor adaptados, facilitando a caminhada;
  • Leve luva, caso escorregue ela protegerá sua mão de cortes no gelo;
  • Leve lanche, não tem onde comprar comida;
  • Use óculos escuros, a luz do sol é intensificada quando reflete na neve, podendo prejudicar os olhos.

 

Grampones

Grampones

IMG_6457

Mine Trekking ou Big Ice

 

PASSARELAS

As passarelas nos dão uma visão panorâmica da face norte do Glaciar Perito Moreno, na parte alta das passarelas avistamos parte de sua extensão e à medida que descemos a imagem vai tornando-se mais imponente nos diversos mirantes ao longo do caminho. São 4 km de passarelas com vários mirantes, até chegarmos no ponto mais baixo, em frente ao Glaciar Perito Moreno, surpreendente! Na caminhada, ouvimos com frequência estrondos, são placas de gelo que se partem da geleira e caem na água formando espuma e grandes ondas, em seguida os icebergs aparecem de todas as formas e tamanhos boiando no lago.

 

  •  A acessibilidade não foi esquecida, há elevador para cadeirantes e rampas. Na parte superior das passarelas tem uma boa estrutura com restaurante, banheiros, souvenir, etc;
  • O ideal é alugar um carro e seguir independente ao porto e em seguida às passarelas, as agências limitam a permanência nas passarelas e bom mesmo é sentar e observar…

 

Passarela

Passarelas de Perito Moreno

 

RIOS E HIELO

 

Quando fiz o passeio chamava-se “Navegação Todos os Glaciares” e incluía visita ao Glaciar Perito Moreno. Hoje o passeio chama-se “Ríos de Hielo” e visitam apenas os Glaciares Upsala e Spegazzini.

O caminho que seguimos para o embarque deste passeio é o mesmo do Safari Náutico, o que muda é o porto de embarque do Catamarã que se dá no porto Punta Bandeira. No porto paga-se uma taxa de embarque não inclusa no pacote, em seguida todos se posicionam numa fila à espera da liberação de embarque num Catamarã grande e luxuoso com dois andares – sua posição no início da fila lhe assegurará a escolha de um bom lugar no barco. Às 08h:30 minutos o embarque é liberado, o barco segue através do Lago Argentino e passa pela Boca del Diabo (estreitamento do lago). Depois de 1 hora de navegação entre montanhas, começam a aparecem grandes massas de gelo e surge então o Glaciar Upsala, o maior da região. O barco para por alguns minutos e depois seguimos até o Glaciar Spegazzini, o mais alto do parque. Continuamos o passeio até o Glaciar Perito Moreno, que sem dúvidas é o mais bonito e conhecido.

 

  • No catamarã são vendidos lanches e bebidas, mas são caros;
  • Agasalhe-se bem! A temperatura dentro do catamarã é agradável, mas do lado de fora (onde podemos fazer as melhores fotos) faz um frio de rachar;
  • No barco há um fotógrafo, ele poderá tirar suas fotos e entregará num pen drive, com filmagens e informações dos Glaciares também.

 

ergeg

Glaciar Spegazzini

 

IMG_2921

Glaciar Perito Moreno e seus desprendimentos de gelo

 

A cidade oferece outras opções de diversão como: cavalgada, tirolesa, glaciarium (bar de gelo), cuevas del walichu (pinturas rupestres em cavernas feitas por índios tehuelches), entre outros.

É impossível ficar indiferente à tanta beleza natural e ao mesmo tempo à rusticidade da região. Nenhuma foto demonstraria a grandiosidade e a paz de espírito que se sente ao observar uma Geleira. É realmente uma obra maravilhosa da mãe natureza e uma energia sem igual.

 

E aí, o que acharam? No próximo post vocês verão dicas muito úteis de como economizar nas viagens! Até a próxima.

  • Todas as fotos são produzidas pelo Blog Érica Kolbe, exceto quando sinalizado. Todos os direitos reservados.
Publicado por Ana Verena Kolbe Tags: , , , , , , ,
USHUAIA – Viagem ao fim do mundo
ghd

Vista do Hotel Las Lengas


Ushuaia
, na Patagônia Argentina, a cidade mais austral do mundo, isso quer dizer que você estará na última cidade Argentina antes da Antártida, separadas por 800km. Conhecida também como “Fim do Mundo” ou “Terra do Fogo”, Ushuaia é uma pequena, mas muito simpática cidade portuária localizada no Canal de Beagle, rodeada pela cadeia de montanhas da Cordilheira dos Andes dando-lhe um charme de cidade europeia. Uma localidade de ventos fortes fazendo a sensação térmica ser ainda mais baixa, as temperaturas médias no verão não chegam aos 10ºC. Há muito o que ver e fazer na região, desde opções para os mais aventureiros (como trekkings, esqui, canoagem e mergulho), até as de contemplação (como visitas a parques naturais, passeios de barco e animais exóticos).

SSSS


Passeio pelo Canal de Beagle

Passeio tradicional de Ushuaia, pode ser feito durante todo o ano, mas depende das condições climáticas e dos ventos. O passeio dura em média de 2h:30min com saída do porto turístico de Ushuaia. Existem algumas variações destes passeios que podem ser feitas por catamarãs ou veleiros. O passeio percorre as Ilhas Los Pajaros, para vermos os Cormoranes – pássaro característico da região que parece com o pinguim – Ilha Alicia, para vermos os leões marinhos, Ilha H e Ilha Bridges onde há desembarque e uma breve caminhada. Depois navega-se até o farol, “Faro Les Eclaireurs” – conhecido como Farol do Fim do Mundo. É um passeio de contemplação, com natureza exuberante e paisagens naturais lindíssimas!

Ir num barco menor fez toda a diferença, pois esses barcos conseguem se aproximar mais das ilhas, te proporcionando uma ótima visão dos animais, além do tratamento mais pessoal. Desembarcamos na Isla H, fizemos uma caminhada com o guia explicando tudo com riqueza de detalhes e nos levando até um penhasco com os ninhos de Cormoranes. Faz muito frio durante a navegação, mas dentro do barco nos serviram um licor delicioso com biscoitos para esquentar. Fizemos fotos incríveis desse lugar!

  • Você pode comprar os passeios na recepção do hotel, nas agências situadas nas Av. San Martin (principal avenida da cidade), ou nos quiosques do porto.
  • A “Terra do Fogo” está localizada numa das grandes falhas da Camada de Ozônio, portanto o uso de bloqueadores solares e de óculos escuros é muito importante!

 

Cormoranes: pássaro caraterístico da região

Cormoranes: pássaro caraterístico da região

Leões marinhos na Ilha Alicia

Leões marinhos na Ilha Alicia

 

Cerro Martial Glaciar

Localiza-se muito próximo da cidade, a apenas 7 Km, é uma montanha com algumas trilhas como o Mirador Glacial Martial, 2 horas de caminha subindo ao topo do morro, uma subida bem cansativa na neve que requer um certo preparo físico. Lá do alto tem-se uma vista ótima da cidade de Ushuaia e do Canal de Beagle. Nos meses de inverno no Glaciar Martial funciona um pequeno Centro de Esqui com apenas uma pista, apesar de não ter uma grande estrutura, é muito bom para quem quer treinar em pista vazia, e com preços menores que o Cerro Castor. Infelizmente, o teleférico parou de funcionar, dificultando bastante a subida para a pista. Na base do cerro há uma escola de esqui, uma loja de aluguel de roupas e equipamentos e uma graciosa casa de chá, “Casa de Té”, chamada La Cabaña.

 

Esquiando no Cerro Martial Glaciar

Esquiando no Cerro Martial Glaciar

 

Museu Marítimo e Museu do Presídio

Localizados no antigo presídio de Ushuaia, o Museu do Presídio, conta a história dos presidiários, criminosos reincidentes, que eram enviados a Ushuaia para ajudar na construção da cidade. Eles eram forçados a trabalhar e seguiam no Trem do Fim do Mundo para cortar lenha para o aquecimento da cidade. Existem horários de tours guiados que contam com detalhes a história de presos famosos e curiosidades da vida no local. Uma das alas foi mantida sem reforma mostrando as características originais, inclusive sem calefação, um clima pesado e gelado!

O Museu Marítimo conta como se deu o crescimento marítimo da região, os primeiros navios que estiveram por lá, as expedições à Antártida, mostra a fauna da região e os primeiros moradores da ilha, os índios “Yámanas”.

 

Presídio - Ala sem reforma

Presídio – Ala sem reforma

 

Parque Nacional Tierra del Fuego ou Parque Nacional da Terra do Fogo

Localizado a 11 km de Ushuaia, o acesso ao parque é feito por estrada ou pelo Trem do Fim do Mundo, réplica do trem utilizados no passado pelos presidiários. Várias excursões fazem o percurso do Parque com breves paradas nos pontos de interesses e podem incluir o passeio do Trem no mesmo dia. Paga-se uma taxa na entrada,tem desconto para residentes do Mercosul mostrando passaporte. Recebe-se um mapa com todos os pontos de interesse.

No Parque existem inúmeras trilhas (trekkings) com diferentes graus de dificuldades, todas as rotas são bem sinalizadas com placas informativas. Passamos pelo mirante Baia Lapataia, onde fica o Marco Final da famosa Ruta 3, rodovia que corta a Argentina de norte a sul até Ushuaia. O Lago Roca, de origem glaciária, é rodeado por montanhas e bosques. Na Baía Ensenada, de onde se avista a Ilha Redonda, podemos carimbar o passaporte na Agência dos Correios mais Austral do Mundo que fica num píer nesta baía, nesta agência você também pode mandar um postal para seu endereço, com o selo de Ushuaia.

Trem do Fim do Mundo, conhecido como o “Trem dos Prisioneiros”, leva os passageiros para conhecer alguns trechos do Parque Nacional Terra do Fogo, o trem percorre 7 km dos 25 que os presidiários faziam, há uma parada na Cascata la Macarena e outra na Estação do Parque Nacional.  Ao longo da viagem, a história da construção da ferrovia e de como viviam os presos é contada num áudio (português, espanhol e inglês). O passeio dura 1h:30 min. Na estação do Parque tem loja de souvenir, lanchonete e banheiros. Não fizemos o passeio pois achamos o percurso pequeno e o custo muito alto, mas passamos na estação do Parque Nacional para conhecer e tirar fotos das locomotivas e da estação.

 

Parque Nacional Terra do Fogo

Parque Nacional Terra do Fogo

 

O Lago Roca é outra paisagem deslumbrante (se prepare para o vento) lá também tem um restaurante e uma lojinha. Na Baia Enseada tem a trilha chamada Senda Costeira com prainhas lindas!

  • Na Bahia Enseada tem a “Agência de Correio mais Austral do Mundo”, leve seu passaporte para carimba-lo. Paga-se uma taxa por carimbo (um pinquinzinho!) você também pode comprar um postal e mandar para seu endereço, com o selo local, é uma oportunidade única!

No dia seguinte pegamos a estrada em direção a Ruta 03, fomos conhecer o Passo Garibalde, ponto panorâmico com um mirante onde se poderá observar uma impressionante vista dos Lago Escondido encravado na cordilheira e ao fundo o Lago Fagnano, um visual lindo e a neve compõe a beleza do local deixando ainda mais especial. Esse lugar faz jus ao ditado “Onde o vento faz a curva”.

Seguimos pela estrada até a entrada do Lago Fagnano com quase 100 km de extensão, dividido entre a Argentina e Chile, atravessando as cadeias de montanhas das Cordilheira dos Andes é um visual de tirar o fôlego, digno de contemplação com paisagens estonteantes e a neve faz o local ficar ainda mais especial!

Lago Escondido

Lago Escondido


Pinguineira na Isla Martillo

É o passeio mais procurado na cidade, com duração aproximada de 6 horas. O passeio sai do porto de Ushuaia em ônibus e segue por 85 km, 1h30min, até a Estância Haberton, uma fazenda às margens do Canal Beagle, de onde partem os barcos. No caminho para a estancia, somos instruídos como proceder na ilha, não pode se aproximar muito nem tocar nos pinguins, nada de barulho pois estão na ilha para se reproduzir, existem trilhas demarcadas por onde podemos andar observando os esconderijos escavados pelos casais. As trilhas são bem demarcadas, é preciso respeitá-las e dar preferência aos pinguins caso queiram atravessar na sua frente. É encantador ficar tão perto daquelas criaturinhas de andar engraçado!

Todos os anos, entre outubro e março, os pinguins invadem essa ilha, para se reproduzir. A ilha é uma propriedade privada e a única empresa que tem autorização para fazer o desembarque na Ilha é a Piratour, há um controle de visitas por dia ao local. De volta a Estancia pode-se visitar o Museu Acatushún, com um acervo de esqueletos de várias espécies de animais marinhos como orcas, golfinhos, leões marinhos, pinguins e baleias, bem interessante.

 

  • Cuidado! Pois muitas agências oferecem passeios de barco à pinquineira mas as pessoas não podem desembarcar!
  • Compre logo seu passeio da Pinguineira ao chegar em Ushuaia, é um dos mais concorridos e esgotam rapidamente.

 

16

Pinguineira – Isla Martillo

IMG_0017

Pinguineira – Isla Martillo

 

Valle Tierra Mayor

Distante 22 km de Ushuaia, é um dos centros invernal mais completo da região, lá pode-se contratar várias atividades relacionadas à neve, como andar de snowmobile, patinação no gelo, caminhada com raquetes na neve, andar de trenós, escaladas, patinação e passeios de 4×4.

Passeio Neve e Fogo

É um passeio noturno, com duração de 4 horas. Às 18:00h uma van passa nos hotéis pegando os participantes e leva ao Centro Invernal. Lá os grupos são separados de acordo com o meio de transporte pré-escolhidos na compra do passeio (trenó, raquetes ou snowmobile). Em grupos de 12 pessoas seguimos de Snowmobile, cruzamos o vale à noite por um caminho marcado por tochas até a entrada de um bosque onde há uma cabana. O jantar é servido nesta cabana com bancos de madeira em sua volta formando um círculo e uma enorme fogueira no centro. O jantar é espeto de frango, pão assado, vinho quente ou refrigerante e sopa de lentilha. O retorno ao Centro Invernal é em trenós puxados por cachorros. Este passeio vale pela experiência de pilotar as motos de neve e andar nos trenós puxados pelos obedientes.

  • Se fizer este passeio alugue roupa impermeável na cidade pois ajuda muito a proteger do frio que é grande! Ahh! E Coma antes de ir, ficamos com fome até retornamos ao Hotel.
  • Este passeio vale muito a pena pela experiência de pilotar as motos de neve e andar nos trenós puxados pelos obedientes Huskys, porque o jantar é horrível!

 

23

Centro Invernal Valle Tierra Mayor

 

Cerro Castor

A estação de esqui localizada no lado sul da cidade distante 26 km de Ushuaia tem uma das temporadas de esqui mais longas da América do Sul, de meados de junho até o início de outubro. Conta com 26 pistas para todos os níveis, 10 meios de elevação, restaurantes e lanchonetes, uma  infra-estrutura muito boa. Minha impressão deste cerro foi a melhor possível, organizado, boa estrutura, sem filas, wi-fi, um ótimo restaurante na base do cerro. Lá em cima neve soltinha e seca, pistas bem tranquilas e sinalizadas. Gostei muito.

  • Se for alugar equipamentos de esqui ou snowboard, procure as lojas da cidade pois na estação Cerro Castor os preços são bem mais caros.

 

24

Cerro Castor

É realmente uma viagem fantástica! Ushuaia é uma mistura de floresta, mar, montanha e glaciares, cenários espetaculares com programação extensa para todos os gostos. Sua gastronomia maravilhosa surpreende, tem como pratos tradicionais a Centolla, o famoso Caranguejo Gigante e a Merluza-Negra, com filés altos e que derretem na boca, e os assados de Cordeiro Patagônico. Deliciosos!

  • É preciso pagar uma taxa aeroportuária de 28 pesos antes de realizar seu embarque no aeroporto de Ushuaia.

nn (1)

De Ushuaia embarcamos para mais uma aventura na Patagônia Argentina, El Calafate! Mas esse será assunto de um próximo post. Até lá!

Publicado por Ana Verena Kolbe Tags: , , , , , , , ,
África do Sul: Cape Town

1653418_10201579143064015_909279119_n
Ao contrário do que muitos pensam, a África DO SUL não é só miséria, pobreza e fome. Não estou dizendo que lá também não tenha, tem sim, mas bem menos que no Brasil, por exemplo. A África do Sul é um país superdesenvolvido, bem preservado, com transporte público de qualidade, ruas limpas e seguras. Minha experiência lá foi muito boa, fui muito bem recebida por TODOS e a escola ajudou muito também na parte da integração. Fui com 17 anos, então fiquei com uma Host Family que cuidou de mim com todo amor e carinho. Pelas manhãs, estudava inglês na escola Good Hope Studies, que também só tenho o que elogiar. Fiquei muito satisfeita com tudo, além de ter superado minhas expectativas.

1002314_558493627567996_971904673_n

Cape Town (Cidade do Cabo) é uma cidade super eclética. Oferece vinícolas, montanhas, praias, jardins, festas, passeios históricos, esportes radicais, safáris, trabalhos voluntários, cursos preparatórios de inglês, além de uma cultura totalmente diferente. Muitos a comparam com o Rio de Janeiro, e sim, há uma semelhança, mas Cape Town realmente me conquistou em todos os aspectos.

1521628_606834896020330_1617300015_n

Good Hope Studies

Passei 3 meses em Cape Town, o que foi suficiente para conhecer cada canto como a palma da minha mão e sair de lá completamente apaixonada. A cidade fica no sul do país, na província de Western Cape, e tem uma população aproximada de 3,5 milhões de habitantes. Se interessou? Então vem conhecer os principais pontos turísticos:

31472_10201493710288249_1587280374_n

Lion’s Head

  • Table Mountain e Lion’s Head

Um dos principais pontos é a Table Mountain (Montanha da Mesa) – conhecida assim pelo seu formato e por quando coberta por nuvens, assemelhar-se a uma mesa coberta – a montanha é incrivelmente grande. Com cerca de mil metros de altura, você pode subir de bondinho ou, escalando – sim, tem quem suba à pé e demora cerca de 4 a 8 horas – os ingressos do bondinho custam cerca de 40 reais ida e volta. O chato é que se o dia estiver nublado, uma sirene de segurança toca e todos são obrigados a descer de lá. A Table Mountain é tão grande, que devo ter tirado umas 1.000 fotos só lá, cada lugar era uma vista diferente. Vale lembrar que mesmo no verão, lá em cima venta muito e faz frio, então vão preparados porque passei por um aperto danado!
Em frente a Table Mountain, sua filha, a Lion’s Head, uma outra montanha, que vale muito a pena ser encarada. Sim, encarada, pois nela não existe a opção “bondinho”, é na raça mesmo. Demorei cerca de 2 horas subindo, mas valeu cada músculo dolorido. A vista é espetacular. Indico que vão para o pôr-do-sol ou em lua cheia. A Table tem lojinhas e lanchonetes, já a Lion’s é totalmente natural, sem nenhuma interferência humana, ou seja, leve sua água e sua comida.

waterfront

Waterfront

  • Waterfront

Alfred & Victoria Waterfront, mais conhecido como Waterfront, é difícil de se explicar. Considero um píer com shopping, hotel, oceanário, restaurantes a beira do mar, feirinhas, shows, playground, roda gigante, entre outros. Foi construído inicialmente para proteger os navios do forte vento do inverno em 1860 por Alfred, filho da Rainha Victoria. Porém, foi abandonado em 1960, remodelaram-no em 1988 e hoje é um dos principais pontos turísticos de Cape Town. Lá é possível realizar passeios de barco, lancha, mergulhos, vista do alto da roda-gigante, comprar, comer, ir ao cinema, ir ao Two Oceans Aquarium (oceanário que conta com uma variedade enorme de peixes, tubarões, golfinhos, pinguins, arraias, focas, tartarugas e ainda há a opção de mergulho com tubarões).

601188_10201224614281017_1307802212_n

Cela de Mandela

  • Robben Island

Considerada monumento e patrimônio histórico mundial, a Robben Island é uma ilha, que na época do Apartheid, serviu de isolamento e aprisionamento por mais de 400 anos para diversos negros, incluindo Nelson Mandela – ex-presidente e ídolo dos sul-africanos. Mandela (ou como é carinhosamente chamado, Madiba) passou 18 anos de sua vida nessa ilha por conta de sua luta contra o racismo. A visita é feita de barco, os ingressos ficam à venda no Waterfront e os barcos saem de lá também. O clima lá é pesado, e o passeio conta com um ônibus e um guia e ficamos cara a cara com a sela em que Mandela ficou por 18 anos sozinho.

1507656_613476095366582_1856642192_n

Praia de Muizenberg

  • Muizenberg Beach (conhecida por suas casinhas coloridas)

A praia de Muizenberg fica mais afastada do centro. No subúrbio da cidade, um dos cartões postais de Cape Town são suas casinhas coloridas em frente ao mar. Ali, além de uma vista das montanhas, e um metrô em frente à praia, foi feita uma piscina artificial dentro do mar, onde crianças podem brincar tranquilamente. Também conta com um calçadão agradável, com várias opções de lanchonetes, restaurantes e lojas. Alguns surfistas vão lá também.

1514273_10203193598907130_1515232373_n

Boulder’s Beach

  • Cape Point, Cape of Good Hope (Cabo da Boa Esperança ou “Cabo das Tormentas”) e Boulder’s Beach.

O Cape Point fica no alto do Cape of Good Hope. Você pode subir a pé para ver o Cape of Good Hope de cima, uma linda vista do farol. O ponto de encontro dos dois Oceanos, o Oceano Índico e o Atlântico. Foi descoberto em 1488 por Bartolomeu Dias, que, a partir de violentas tempestades (tormentas, como se chamava na época), nomeou-o de Cabo das Tormentas. Quando o rei de Portugal, João II soube da notícia, mudou o nome pois, ao ser dobrado, mostrava a ligação entre os dois oceanos, o que na época, possibilitaria a tão desejada chegada à Índia. Chamou-lhe então, de Cabo da Boa Esperança (o mais utilizado hoje em dia), onde se encontra o Cape Point. É um ponto muito famoso e que não pode ser esquecido. Próximo a ele, está a Boulder’s Beach (ou praia dos pinguins), uma praia onde moram centenas de pinguins devido a temperatura fria da água. Há um passeio pago, em que você vê os pinguins de perto, mas não é permitida a entrada na praia. A outra opção, é pagar para entrar na parte da praia liberada para banho e ir atrás de um pinguim perdido. Mas cuidado, eles bicam e podem ser agressivos.

1468705_10201225399940658_1627617214_n

Cape Town Stadium

 

Tive a infeliz (ou feliz) oportunidade de presenciar um momento histórico na África do Sul – a morte de Nelson Mandela. Sim, eu estava lá quando ele faleceu, e não me entendam mal, não fico feliz por ele ter morrido, mas feliz e honrada por ter presenciado esse momento que foi realmente muito bonito de se ver ao vivo e a cores. Os sul africanos idolatram Madiba, ele era como um pai para todos, o herói deles. Estive presente no Cape Town Stadium para homenagem oficial a esse grande homem que mudou a história. Foi arrepiante e único, só quem convive com essa realidade compreende seu significado. Obrigada por terem tocado meu coração, Madiba, África, sul-africanos e amigos de diversas nacionalidades que fiz pelo caminho.

  • OUTRAS DICAS:
    + Vinícolas com degustações também de queijos e chocolates: Stellenbosch, Franschhoek, Steenberg, Constantia;
    + Praias: Clifton e Camps Bay (as mais lindas praias);
    + Bo-Kaap (bairro muçulmano com casas lindas coloridas) + Long Street (bairro badalado);
    + Jardim Botânico de Kirstenbosch;
    + Old Biscuit Mill (mercado com variedades da culinária local);
    + Trabalho voluntário com animais (sáfari) ou crianças;
    + Bung jump, mergulho com tubarões ou golfinhos, skydiving.
1465241_10201252357334576_268989501_n

Soup Kitchen Volunteer Work

I Miss you, Africa…

Já conhece Cape Town? O que acharam das dicas? Se quiserem, deixem um comentário abaixo, com dúvidas ou opiniões! Qualquer dúvida, ficarei feliz em poder ajudar.

Espero ter ajudado.
Beijos e até a próxima,

1508127_10201493370839763_181233384_n

Publicado por Érica Kolbe Tags: , , , , , , , , , , , ,