MENU
Back To Top
Dicas para economizar em viagens!

A crise no Brasil tem atrapalhado os planos de muitas pessoas a viajar nas férias de fim de ano. Este post dará dicas gerais de como diminuir os custos em sua viagem, vivenciando inesquecíveis experiências da forma mais acessível.

passaport

 

Passagens aéreas:

Compre suas passagens com antecedência, em voos nacionais é indicado entre 40 a 90 dias de antecedência e em voos internacionais de 60 a 120, em baixa e alta temporada respectivamente. Para você entender melhor, as Companhias Aéreas dividem o avião em fatias e cada fatia terá grupos de poltronas com preços de assentos diferenciados na mesma aeronave. Como assim? Um mesmo voo pode ter assentos custando R$ 90,00, R$ 180,00 até R$ 1.000,00 e com o mesmo serviço de bordo. Portanto quanto mais cedo você adquirir sua passagem maior a chance de preços menores. Outras formas de reduzir custo da passagem:

  • Voos nacionais – saídas sábado à noite ou domingo pela manhã costumam ser mais baratos;
  • Voos na madrugada costumam ter tarifa menores;
  • Use sites de busca de passagens. Em voos nacionais – faça a busca separadamente por trecho (ida ou volta), você saberá qual é a empresa com menor preço por trecho e poderá comprar separadamente;
  • Voos internacionais – alterando a cidade de saída do voo, as tarifas podem baixar de preço;
  • “Stopover” grátis – voos internacionais, algumas Companhias Aéreas oferecem permanência no país de conexão sem custo, você poderá conhecer mais países com uma única passagem;
  • Programa de milhagens – troque pontos por passagens pagando apenas a taxa de embarque.

 

Hospedagem:

Este item pode pesar bastante no orçamento, portanto defina antes quanto quer gastar com hospedagem. Pesquise e compare as opções antes de decidir, este ponto é onde mais demoro pesquisando. Existem muitos sites de busca especializados em reservas de hotéis, a antecedência na sua reserva lhe garantirá preços mais atrativos e após sua pesquisa confira as tarifas diretamente com o hotel escolhido, elas podem ser melhores que a do site de pesquisa. A escolha da hospedagem adequada pode garantir mais economias:

  • Proximidade às estações de metrô, é garantia de transporte mais barato;
  • Hostels, – há opções baratas de quartos individuais com banheiro. Podendo usar sua cozinha nas refeições;
  • Baixa temporada – negocie descontos extras, os hotéis costumam baixar valores para garantir receita;
  • Evite viajar em datas como: Réveillon, Carnaval e Férias Escolares, período de alta nos preços em geral;
  • Viajando em grupo – Alugue um apartamento ou casa, os preços são melhores;
  • Programa de milhagens – eles também podem ser trocados por hospedagem;

 

Alimentação:

Este item pode extrapolar o orçamento inicial de sua viagem, vai depender dos hábitos de cada um, mas cá pra nós: mudar um pouco os hábitos por uma ou duas semanas pode viabilizar seus planos de viajar.

  • Reserve espaço na mala e já leve seu lanche ou compre em supermercados locais;
  • Compre garrafas de água grandes nos mercados, deixe no hotel e abasteça a garrafa que leva na mochila antes de sair ou em locais com bebedouros;
  • Se seu hotel não dá direito a café da manhã – compre pão, queijo, suco, coloque no frigobar e faça seu café no quarto;
  • Seu hotel oferece café na diária – tome um café da manhã de “Rei”, faça uma boa refeição na rua e leve fruta ou sanduiche pro lanche;
  • Evite comer em locais turísticos e nas ruas principais, as ruas transversais têm restaurantes com preços melhores;
  • Evite ficar com fome para não se precipitar na escolha do restaurante, faça sempre pequenos lanches e planeje os horários e locais para as refeições;
  • Muitos restaurantes ofertam pratos executivos com bons preços;
  • Muitos países oferecem água de graça nos restaurantes ao sentar na mesa, então evite pedir suco ou refrigerante;
  • Muitos países possuem barraquinhas com alimentação boa e barata.

 

Economizando durante a viagem:

  • Pesquise os dias gratuitos ou mais baratas de entrada em museus e atrações;
  • Procure o Centro de Informação Turística, você pode conseguir cupons de desconto em atrações e restaurantes;
  • Atrações quando compradas casadas rendem bons descontos;
  • Companhias Aéreas tem convênios oferecendo descontos em hotéis e locadoras de carros;
  • Muitos países cobram o uso de sanitários, sempre que estiver em shoppings, restaurante, museus ou estações de trem, aproveite que é de graça;
  • Ande mais, você mantém a forma na viagem e economiza com transporte;
  • Aluguel de carro – cartões de crédito dão direito a seguros nas locações;
  • Roaming do celular, coloque-o em “Modo Avião” e use o wi fi no hotel e em restaurantes;
  • Monte seu roteiro incluindo todos os pontos de interesse que são próximos, você reduz o tempo de viagem, economiza transporte e diárias de hotel;
  • Viajando em Grupo – peça desconto em função do número de pessoas;
  • Evite usar Cartão de Crédito, além da instabilidade da moeda ainda há o acréscimo do IOF de 6,38%;

 

Espero que tenham gostado das dicas. Qualquer dúvida, sintam-se à vontade para perguntar! E boa viagem! ♥

Publicado por Ana Verena Kolbe Tags: , , , , , , , ,
PorOndeAndei: El Calafate

 

ryuru

 

Imagine navegar entre icebergs, se aproximar de gigantescas Geleiras, presenciar desprendimentos de blocos gelo, escutar o estrondo destes blocos caindo na água e ainda ter a oportunidade de caminhar sobre a superfície de um gelo milenar! Em El Calafate podemos vivenciar todas essas experiências proporcionadas pela mãe natureza em todo seu esplendor!

El Calafate, na Patagônia Argentina, fica às margens do Lago Argentino. O nome Calafate vem de uma frutinha escura da região usada para doces, geleias, sorvetes e licor. A cidade é pequena, mas simpática. Por ser a cidade mais próxima do Glaciar Perito Moreno, serve de base para os que vão visitá-lo. A melhor época para ir a El Calafate é entre novembro e março, meses mais quentes e com menos vento, pois o inverno é rigoroso e a partir de maio muitos passeios não podem mais ser realizados.

 

  • El Calafate é conhecida por “A Terra do Vento” – As rajadas de vento lá são tão fortes que chegam a dificultar a direção dos carros nas estradas, o vento é responsável por acidentes e até tombamentos; 
  • Muito cuidado ao abrir a porta do carro, é uma luta constante contra o vento. E se a rajada estiver na sua direção a porta pode te machucar.

 

A grande atração de El Calafate são seus Glaciares – formações de gelo originadas pela compactação da neve que descem das montanhas em direção aos lagos. Os Glaciares se movimentam em média 2 metros por dia, por isso acontecem desprendimentos de blocos de gelo. Os principais passeios são o Safari Náutico, Rios e Hielo, Caminhadas pelas Passarelas e o Mine Trekking ou Big Ice mas a “Cereja do Bolo” sem dúvidas é o Glaciar Perito Moreno.

 

Lago Argentino

Lago Argentino

El Calafate

Isla Solitaria

 

GLACIAR PERITO MORENO – SAFARI NÁUTICO

 

Segue-se 80 km na Ruta 11, estrada que leva até o Parque Nacional Los Glaciares, onde se encontra o Glaciar Perito Moreno – nome em homenagem a um desbravador da Patagônia, perito em geologia – Francisco Pascasio Moreno, conhecido como Perito Moreno. Paga-se a entrada e segue-se já dentro do parque até o Porto Bajo de Las Sombras, onde embarcamos para navegar através do Brazo Rico do Lago Argentino. O barco é simples, mas confortável, na parte superior existe uma área aberta com bancos de ferro, ótimo para tirar fotos, mas o frio castiga. Navega-se até o lado sul do Glaciar Perito Moreno, passando por blocos de gelo soltos no lago até se aproximar da parede gigantesca do Glaciar Perito Moreno. O Safari Náutico pode ser comprado independente ou conjugado com o Mine Trekking ou Big Ice.

 

Entrada do Parque Nacional Los Glaciares

Entrada do Parque Nacional Los Glaciares

IMG_0195

Vista do hotel

 

Depois o barco segue para o lado esquerdo do Glaciar e aporta para iniciar a segunda parte do passeio, o Mine Trekking. Após desembarque os guias dividem os grupos em espanhol e inglês, fazem uma explanação sobre a geleira e partimos para uma caminhada de 20 minutos por um bosque, sempre acompanhados pelo visual do Glaciar à nossa direta, até a base da geleira. Colocam-se os Grampones (garras) amarrados aos sapatos – esse acessório é indispensável para nossa segurança durante a locomoção na geleira, evitando que se escorregue no gelo. Os guias demonstram como se deve caminhar, subir e descer na geleira com os Grampones.

 

IMG_0140

Safari Náutico

Glacial Perito Moreno

Glacial Perito Moreno

 

BIG ICE OU MINE TREKKING – Caminhada sobre o Glaciar Perito Moreno

O encontro mais próximo com os Glaciares é este. Caminhada com Grampones, sobre uma camada de gelo compacta por aproximadamente 1h:30 minutos com paradas para explicações dos guias e fotos. No caminho passamos por elevações, fendas e crateras. Em alguns pontos avistamos grandes blocos pontiagudos que lembram chantilly ou suspiros. Ao final da caminhada os guias retiram um pedaço da geleira, quebram e servem com whisky e alfajor. Neste passeio está incluso a visita as Passarelas de Perito Moreno.

 

  • Mine Trekking (dificuldade: média – 1h:30 minutos de caminhada e restrição de idade – entre 8 anos e 60 anos, exceto gestantes) ou Bic Ice (dificuldade: alta – 3 horas de caminhada – entre 18 anos e 50 anos, exceto gestantes);
  • O Trekking é monopólio da empresa Hielo y Aventura, compre com antecedência seu passeio pois há muito procura;
  • Vá de tênis ou botas para o Trekking (confortáveis) pois os Grampones ficam melhor adaptados, facilitando a caminhada;
  • Leve luva, caso escorregue ela protegerá sua mão de cortes no gelo;
  • Leve lanche, não tem onde comprar comida;
  • Use óculos escuros, a luz do sol é intensificada quando reflete na neve, podendo prejudicar os olhos.

 

Grampones

Grampones

IMG_6457

Mine Trekking ou Big Ice

 

PASSARELAS

As passarelas nos dão uma visão panorâmica da face norte do Glaciar Perito Moreno, na parte alta das passarelas avistamos parte de sua extensão e à medida que descemos a imagem vai tornando-se mais imponente nos diversos mirantes ao longo do caminho. São 4 km de passarelas com vários mirantes, até chegarmos no ponto mais baixo, em frente ao Glaciar Perito Moreno, surpreendente! Na caminhada, ouvimos com frequência estrondos, são placas de gelo que se partem da geleira e caem na água formando espuma e grandes ondas, em seguida os icebergs aparecem de todas as formas e tamanhos boiando no lago.

 

  •  A acessibilidade não foi esquecida, há elevador para cadeirantes e rampas. Na parte superior das passarelas tem uma boa estrutura com restaurante, banheiros, souvenir, etc;
  • O ideal é alugar um carro e seguir independente ao porto e em seguida às passarelas, as agências limitam a permanência nas passarelas e bom mesmo é sentar e observar…

 

Passarela

Passarelas de Perito Moreno

 

RIOS E HIELO

 

Quando fiz o passeio chamava-se “Navegação Todos os Glaciares” e incluía visita ao Glaciar Perito Moreno. Hoje o passeio chama-se “Ríos de Hielo” e visitam apenas os Glaciares Upsala e Spegazzini.

O caminho que seguimos para o embarque deste passeio é o mesmo do Safari Náutico, o que muda é o porto de embarque do Catamarã que se dá no porto Punta Bandeira. No porto paga-se uma taxa de embarque não inclusa no pacote, em seguida todos se posicionam numa fila à espera da liberação de embarque num Catamarã grande e luxuoso com dois andares – sua posição no início da fila lhe assegurará a escolha de um bom lugar no barco. Às 08h:30 minutos o embarque é liberado, o barco segue através do Lago Argentino e passa pela Boca del Diabo (estreitamento do lago). Depois de 1 hora de navegação entre montanhas, começam a aparecem grandes massas de gelo e surge então o Glaciar Upsala, o maior da região. O barco para por alguns minutos e depois seguimos até o Glaciar Spegazzini, o mais alto do parque. Continuamos o passeio até o Glaciar Perito Moreno, que sem dúvidas é o mais bonito e conhecido.

 

  • No catamarã são vendidos lanches e bebidas, mas são caros;
  • Agasalhe-se bem! A temperatura dentro do catamarã é agradável, mas do lado de fora (onde podemos fazer as melhores fotos) faz um frio de rachar;
  • No barco há um fotógrafo, ele poderá tirar suas fotos e entregará num pen drive, com filmagens e informações dos Glaciares também.

 

ergeg

Glaciar Spegazzini

 

IMG_2921

Glaciar Perito Moreno e seus desprendimentos de gelo

 

A cidade oferece outras opções de diversão como: cavalgada, tirolesa, glaciarium (bar de gelo), cuevas del walichu (pinturas rupestres em cavernas feitas por índios tehuelches), entre outros.

É impossível ficar indiferente à tanta beleza natural e ao mesmo tempo à rusticidade da região. Nenhuma foto demonstraria a grandiosidade e a paz de espírito que se sente ao observar uma Geleira. É realmente uma obra maravilhosa da mãe natureza e uma energia sem igual.

 

E aí, o que acharam? No próximo post vocês verão dicas muito úteis de como economizar nas viagens! Até a próxima.

  • Todas as fotos são produzidas pelo Blog Érica Kolbe, exceto quando sinalizado. Todos os direitos reservados.
Publicado por Ana Verena Kolbe Tags: , , , , , , ,
África do Sul: Cape Town

1653418_10201579143064015_909279119_n
Ao contrário do que muitos pensam, a África DO SUL não é só miséria, pobreza e fome. Não estou dizendo que lá também não tenha, tem sim, mas bem menos que no Brasil, por exemplo. A África do Sul é um país superdesenvolvido, bem preservado, com transporte público de qualidade, ruas limpas e seguras. Minha experiência lá foi muito boa, fui muito bem recebida por TODOS e a escola ajudou muito também na parte da integração. Fui com 17 anos, então fiquei com uma Host Family que cuidou de mim com todo amor e carinho. Pelas manhãs, estudava inglês na escola Good Hope Studies, que também só tenho o que elogiar. Fiquei muito satisfeita com tudo, além de ter superado minhas expectativas.

1002314_558493627567996_971904673_n

Cape Town (Cidade do Cabo) é uma cidade super eclética. Oferece vinícolas, montanhas, praias, jardins, festas, passeios históricos, esportes radicais, safáris, trabalhos voluntários, cursos preparatórios de inglês, além de uma cultura totalmente diferente. Muitos a comparam com o Rio de Janeiro, e sim, há uma semelhança, mas Cape Town realmente me conquistou em todos os aspectos.

1521628_606834896020330_1617300015_n

Good Hope Studies

Passei 3 meses em Cape Town, o que foi suficiente para conhecer cada canto como a palma da minha mão e sair de lá completamente apaixonada. A cidade fica no sul do país, na província de Western Cape, e tem uma população aproximada de 3,5 milhões de habitantes. Se interessou? Então vem conhecer os principais pontos turísticos:

31472_10201493710288249_1587280374_n

Lion’s Head

  • Table Mountain e Lion’s Head

Um dos principais pontos é a Table Mountain (Montanha da Mesa) – conhecida assim pelo seu formato e por quando coberta por nuvens, assemelhar-se a uma mesa coberta – a montanha é incrivelmente grande. Com cerca de mil metros de altura, você pode subir de bondinho ou, escalando – sim, tem quem suba à pé e demora cerca de 4 a 8 horas – os ingressos do bondinho custam cerca de 40 reais ida e volta. O chato é que se o dia estiver nublado, uma sirene de segurança toca e todos são obrigados a descer de lá. A Table Mountain é tão grande, que devo ter tirado umas 1.000 fotos só lá, cada lugar era uma vista diferente. Vale lembrar que mesmo no verão, lá em cima venta muito e faz frio, então vão preparados porque passei por um aperto danado!
Em frente a Table Mountain, sua filha, a Lion’s Head, uma outra montanha, que vale muito a pena ser encarada. Sim, encarada, pois nela não existe a opção “bondinho”, é na raça mesmo. Demorei cerca de 2 horas subindo, mas valeu cada músculo dolorido. A vista é espetacular. Indico que vão para o pôr-do-sol ou em lua cheia. A Table tem lojinhas e lanchonetes, já a Lion’s é totalmente natural, sem nenhuma interferência humana, ou seja, leve sua água e sua comida.

waterfront

Waterfront

  • Waterfront

Alfred & Victoria Waterfront, mais conhecido como Waterfront, é difícil de se explicar. Considero um píer com shopping, hotel, oceanário, restaurantes a beira do mar, feirinhas, shows, playground, roda gigante, entre outros. Foi construído inicialmente para proteger os navios do forte vento do inverno em 1860 por Alfred, filho da Rainha Victoria. Porém, foi abandonado em 1960, remodelaram-no em 1988 e hoje é um dos principais pontos turísticos de Cape Town. Lá é possível realizar passeios de barco, lancha, mergulhos, vista do alto da roda-gigante, comprar, comer, ir ao cinema, ir ao Two Oceans Aquarium (oceanário que conta com uma variedade enorme de peixes, tubarões, golfinhos, pinguins, arraias, focas, tartarugas e ainda há a opção de mergulho com tubarões).

601188_10201224614281017_1307802212_n

Cela de Mandela

  • Robben Island

Considerada monumento e patrimônio histórico mundial, a Robben Island é uma ilha, que na época do Apartheid, serviu de isolamento e aprisionamento por mais de 400 anos para diversos negros, incluindo Nelson Mandela – ex-presidente e ídolo dos sul-africanos. Mandela (ou como é carinhosamente chamado, Madiba) passou 18 anos de sua vida nessa ilha por conta de sua luta contra o racismo. A visita é feita de barco, os ingressos ficam à venda no Waterfront e os barcos saem de lá também. O clima lá é pesado, e o passeio conta com um ônibus e um guia e ficamos cara a cara com a sela em que Mandela ficou por 18 anos sozinho.

1507656_613476095366582_1856642192_n

Praia de Muizenberg

  • Muizenberg Beach (conhecida por suas casinhas coloridas)

A praia de Muizenberg fica mais afastada do centro. No subúrbio da cidade, um dos cartões postais de Cape Town são suas casinhas coloridas em frente ao mar. Ali, além de uma vista das montanhas, e um metrô em frente à praia, foi feita uma piscina artificial dentro do mar, onde crianças podem brincar tranquilamente. Também conta com um calçadão agradável, com várias opções de lanchonetes, restaurantes e lojas. Alguns surfistas vão lá também.

1514273_10203193598907130_1515232373_n

Boulder’s Beach

  • Cape Point, Cape of Good Hope (Cabo da Boa Esperança ou “Cabo das Tormentas”) e Boulder’s Beach.

O Cape Point fica no alto do Cape of Good Hope. Você pode subir a pé para ver o Cape of Good Hope de cima, uma linda vista do farol. O ponto de encontro dos dois Oceanos, o Oceano Índico e o Atlântico. Foi descoberto em 1488 por Bartolomeu Dias, que, a partir de violentas tempestades (tormentas, como se chamava na época), nomeou-o de Cabo das Tormentas. Quando o rei de Portugal, João II soube da notícia, mudou o nome pois, ao ser dobrado, mostrava a ligação entre os dois oceanos, o que na época, possibilitaria a tão desejada chegada à Índia. Chamou-lhe então, de Cabo da Boa Esperança (o mais utilizado hoje em dia), onde se encontra o Cape Point. É um ponto muito famoso e que não pode ser esquecido. Próximo a ele, está a Boulder’s Beach (ou praia dos pinguins), uma praia onde moram centenas de pinguins devido a temperatura fria da água. Há um passeio pago, em que você vê os pinguins de perto, mas não é permitida a entrada na praia. A outra opção, é pagar para entrar na parte da praia liberada para banho e ir atrás de um pinguim perdido. Mas cuidado, eles bicam e podem ser agressivos.

1468705_10201225399940658_1627617214_n

Cape Town Stadium

 

Tive a infeliz (ou feliz) oportunidade de presenciar um momento histórico na África do Sul – a morte de Nelson Mandela. Sim, eu estava lá quando ele faleceu, e não me entendam mal, não fico feliz por ele ter morrido, mas feliz e honrada por ter presenciado esse momento que foi realmente muito bonito de se ver ao vivo e a cores. Os sul africanos idolatram Madiba, ele era como um pai para todos, o herói deles. Estive presente no Cape Town Stadium para homenagem oficial a esse grande homem que mudou a história. Foi arrepiante e único, só quem convive com essa realidade compreende seu significado. Obrigada por terem tocado meu coração, Madiba, África, sul-africanos e amigos de diversas nacionalidades que fiz pelo caminho.

  • OUTRAS DICAS:
    + Vinícolas com degustações também de queijos e chocolates: Stellenbosch, Franschhoek, Steenberg, Constantia;
    + Praias: Clifton e Camps Bay (as mais lindas praias);
    + Bo-Kaap (bairro muçulmano com casas lindas coloridas) + Long Street (bairro badalado);
    + Jardim Botânico de Kirstenbosch;
    + Old Biscuit Mill (mercado com variedades da culinária local);
    + Trabalho voluntário com animais (sáfari) ou crianças;
    + Bung jump, mergulho com tubarões ou golfinhos, skydiving.
1465241_10201252357334576_268989501_n

Soup Kitchen Volunteer Work

I Miss you, Africa…

Já conhece Cape Town? O que acharam das dicas? Se quiserem, deixem um comentário abaixo, com dúvidas ou opiniões! Qualquer dúvida, ficarei feliz em poder ajudar.

Espero ter ajudado.
Beijos e até a próxima,

1508127_10201493370839763_181233384_n

Publicado por Érica Kolbe Tags: , , , , , , , , , , , ,